sábado, 9 de agosto de 2014

O garante legal do amor

Garante legal, entrando um pouco no mundo jurídico, é aquela pessoa que tem o dever perante a lei de proteger, salvar e zelar pela vida do próximo que esteja em uma situação de risco eminente. O exemplo clássico do policial que tem o dever de proteger, ou o pai e a mãe detentores do poder familiar que possuem o poder familiar e averbado a ele o dever de proteção ao filho.
 Trazendo para o nosso mundo, mundo de sentimento que anda paralelo ao mundo da seriedade cotidiana. Creio que um mundo invisível aos olhos, mas sensível ao coração. No nosso mundo devemos ser, por força da lei natural, o garante do amor, fazemos isso como o policial, como o pai e a mãe, fazemos isso automaticamente, sem titubear, quase que por instinto, tentamos proteger o amor a todo preço. Isso é lindo demais!
 Proteger o amor, cuidar dele com carinho, atenção. Talvez o único e grande erro que podemos cometer é amar demais, cuidar tanto e esquecer de nós, proteger muito e abafar o amor. Deixe o amor respirar! Deixe o amor movimentar, o que não movimenta morre, tem que deixar respirar. Como um pássaro que tem como essência do próprio ser, o vôo. Se prendemos o pássaro em uma gaiola temos sobre ele o controle, podemos cuidar dele sim, mas tiramos dele o próprio súmus, a essência, de certa forma ele deixa de ser pássaro. Não queremos que o amor perca a essência e deixe de ser amor, queremos um amor que pouse em nossos dedos ou no ombro e que mesmo livre seja nosso, um amor ligado por laços invisíveis, que paire sobre nossas cabeças e que nos proteja também.
 Desse amor seremos o norte, a referência. Quando se encontrar perdido, seremos sua luz, tem coisa mais linda do que ser a luz do amor? Saber que perto ou em pleno vôo aquele amor é nosso e que mesmo que os anos se passem nada abalará esse sentimento. Seja o garante do amor, cuide, proteja, mas acima de tudo deixe o amor respirar, deixe o amor te amar também, do jeito dele.


Pedro Bragança

Nenhum comentário:

Postar um comentário